Músicas atuais em remixes dos anos 80

Lista atualizada em 02/05/2019

Ouvir músicas de anos que se foram pode trazer na gente uma enorme sensação de nostalgia Somos teletransportados no tempo para o passado. Agora imagine músicas pop atuais levadas para a ambientação do passado? Fizemos uma lista de remixes com sucessos musicais de hoje em versões dos anos 80 com seus marcantes sintetizadores. Confira!

Numb do Linkin Park

Baby do Justin Bieber

Shape of You do Ed Sheeran

Viva la Vida do Coldplay

Love Me Harder da Ariana Grande com o The Weeknd

Bad Liar da Selena Gomez

This Is What You Came For do Calvin Harris com a Rihanna

Tennage Dream da Katy Perry

Paparazzi da Lady Gaga

Can’t Stop The Feeling do Justin Timberlake

Summertime Sadness da Lana Del Rey

Sugar do Maroon5

Cheap Thrills da Sia

Just The Way You Are do Bruno Mars

We Belong Together da Mariah Carey

Set Fire To The Rain da Adele

Closer do The Chainsmokers

Glamorous da Fergie com o Ludacris

Sledgehammer do Fifth Harmony

Fireworks da Katy Perry

Shake It Off da Taylor Swift

Xuliana do Mc Lan

Faltou algum bom remix nesta lista? Diz pra gente nos comentários!

Artistas brasileiros LGBTQ para escutar

Lista atualizada em 02/05/2019

O movimento LGBTQ tem crescido ao redor do mundo e com isso vem conquistando mais espaço na mídia e nas artes. Fizemos uma lista com alguns destaques brasileiros na música, contestados ou idolatrados, para você ouvir!

Liniker e os Caramelows Liniker e os Caramelows

Projeto musical que traduz a blackmusic e o soul para uma linguagem contemporânea brasileira, com composições autorais, trazendo como tema central as relações com pessoas e com o mundo. Liniker o vocalista de voz marcante tem um visual andrógino e mistura diversos elementos da cultura negra.

Triz

Triz se diz uma transgênero não binário e lançou o primeiro clipe da sua carreira agora em 2017, da música Elevação Mental. A gente pode esperar coisa boa, do rap ao reggae, vindo por aí.

Cazuza

Cazuza foi um cantor, compositor, poeta e letrista brasileiro. Primeiramente conhecido como vocalista e principal letrista da banda Barão Vermelho, na qual fez bem sucedida parceria com Roberto Frejat, Cazuza posteriormente seguiu carreira solo, sendo aclamado pela crítica como um dos principais poetas da música brasileira. Cazuza também ficou conhecido por ser rebelde, boêmio e polêmico, tendo declarado em entrevistas que era bissexual. Em outubro de 2008 a revista Rolling Stone promoveu a Lista dos Cem Maiores Artistas da Música Brasileira, cujo resultado colocou Cazuza na 34ª posição.

Gloria Groove

Gloria Groove é uma drag queen que ganhou notoriedade na mídia no inicio de 2016 com o videoclipe da sua música, Dona. Com a repercussão, embarcou na turnê Dona Tour, que passou por vários estados do Brasil. Chegou a abrir os shows de drag queens de renome internacional, tais como Sharon Needles e Adore Delano. Em 3 de fevereiro de 2017, Gloria lançou seu álbum de estreia, intitulado O Proceder. As letras são, em sua maioria, retratos de sua vida como gay e drag queen de periferia, trazendo um ponto de vista mais pessoal e contundente.

Rico Dalasam

Rico Dalasam desafia a noção de normalidade na música e nas questões de gênero, inaugurando a cena queer rap do Brasil. Hoje, aos 25 anos de idade, após já ter trabalhado como cabelereiro e editor de moda, ingressou no rap nacional, tornando-se uma das principais apostas da música nacional contemporânea.

Banda Uó

Banda Uó é uma banda brasileira de pop tecnobrega formada em Goiânia. A banda teve seu primeiro destaque na internet, com a versão cover da canção “Whip My Hair” da cantora americana Willow Smith, intitulada “Shake de Amor”.

Pablo Vittar

Pabllo Vittar é um cantor, compositor e drag queen. Sua primeira aparição na TV aconteceu em 2014 no programa “Carona” através da TV Integração, cantando “I Have Nothing” de Whitney Houston. Mais tarde em 2015 Vittar começou a ganhar atenção nas redes sociais após o lançamento do vídeo-clipe de “Open Bar”, releitura de “Lean On” de Major Lazer em parceria com MØ. Em 2017, Vittar conseguiu maior reconhecimento ao lançar seu álbum de estreia Vai Passar Mal, no qual gerou os singles “Todo Dia” e “K.O.”, além de sua participação na canção Sua Cara de Major Lazer em colaboração com Anitta.

Ney Matogrosso

Ex-integrante dos Secos & Molhados (1973-1974), foi o artista que mais se sobressaiu do grupo após iniciar sua carreira solo com o disco Água do Céu – Pássaro (1975) e com suas apresentações subsequentes. É considerado pela revista Rolling Stone como a terceira maior voz brasileira de todos os tempos e, pela mesma revista, trigésimo primeiro maior artista brasileiro de todos os tempos. Ney Matogrosso também é conhecido por suas performances ao vivo. Atribuem a sua maquiagem cênica e seu vestuário exótico desde os anos 70 uma certa mudança de conceitos sobre o comportamento masculino apropriado no Brasil.

Aretuza Lovi

Drag sensação da música nacional e fenômeno da cena LGBT, também faz parte do projeto de humor que viralizou na rede “@Ezatamentchy” e já esteve de frente com a apresentadora Marília Gabriela. No ano de 2016 foi Drag SInger do Amor e Sexo da TV GLOBO. É nesse pique que a performance vem galgando os passos de uma carreira baseada em diversidade e ritmos tipicamente brasileiros.

Johnny Hooker

Johnny Hooker traz o seu amor de volta (ou tira ele para sempre de sua vida). Ganhador na categoria Melhor Cantor no Prêmio da Música Brasileira 2015. Suas músicas são conhecidas por dar vida a trilhas sonoras, como “Volta” (trilha do filme Tatuagem), “Amor Marginal” (trilha da novela Babilônia) e “Alma Sebosa” (Trilha da novela Geração Brasil, na qual Johnny interpretou o personagem Thales Salgado). Seu primeiro disco solo, o aclamado “Eu Vou Fazer uma Macumba pra Te Amarrar, Maldito!” alcançou o 1º lugar na plataforma de streaming Deezer e foi também nº1 no chart MPB do iTunes Brasil.

Mc Linn da Quebrada

Auto-intitulada como terrorista de gênero, bixa, trans, preta e periférica. Cantora, bailarina e performer, Linn encontrou na música – em específico, o funk – uma poderosa arma na luta pela quebra de paradigmas sexuais, de gênero e corpo. Em 2016, a artista lançou os singles “Talento” e “Enviadescer” e neste ano ela abre as atividades com a música “Bixa Preta”.

Jaloo

De Castanhal para o mundo. Há quatro anos, Jaloo – como o paraense Jaime Melo é conhecido no universo dos festivais independentes, moda e design – vem exercitando seu lado musical com uma série de versões únicas para hits, sejam eles covers, remixes ou mashups. Ele já juntou Flora Matos com MIA, fez o hit “Wreckin Ball” (Miley Cyrus) virar Bai Bai, regravou Baby (um clássico na voz de Gal Costa) e na sua lista de remixes (não autorizados, diga-se) tem Beyoncé, Donna Summer, Grace Jones, Robyn, Amy Winehouse e até mesmo, esse oficial, Lucas Santtana.

Lia Clark

Lia Clark é uma drag queen funkeira do litoral de São Paulo. Começou sua carreira como DJ na noite paulistana e ganhou notoriedade em todo território nacional após lançar seu primeiro single, “Trava Trava”, em 2016. A música rapidamente se tornou um hit dominando o carnaval e as pistas de dança LGBTQ, desbundando a onipresente “Baile de Favela” da parada das músicas mais ouvidas do Spotify na sua semana de lançamento.

Lineker

Lineker é bailarino, cantor, performer e diretor. Mineiro natural de Bambuí, reside atualmente na capital paulista. É bacharel em Música e mestre em Artes da Cena pela UNICAMP (Universidade Estadual de Campinas), universidade na qual também teve grande parte de sua formação em dança pelo departamento de Artes Corporais. Em sua carreira musical, Lineker vem se afirmando como um expressivo intérprete da nova MPB, transitando com versatilidade por estéticas que vão do rock ao samba, à música latina, ao pop e à música experimental vocal.

Caio Prado

Caio Prado é cantor e compositor do Rio de Janeiro que faz poesias suaves ao som do violão.

MC Xuxú

Mc Xuxu é uma MC trans moradora da periferia de Juiz de Fora. Seu primeiro hit foi a música Um Beijo.

As Bahias e a Cozinha Mineira

As Bahias, apelido de Raquel Virgínia e Assucena Assucena, se juntaram ao mineiro Rafael Acerbi e fizeram um tributo a Amy Winehouse e depois formaram a banda As Bahias e a Cozinha Mineira, grupo de MPB com elementos da tropicália.

Mulher Pepita

Mulher Pepita é uma cantora, compositora e produtora de funk que começou a promover seu material em casas noturnas desde 2013, mas foi só em 2014 ela recebeu o sucesso com o lançamento de “Tô a Procura de um Homem”, seu maior hit, e “Negão”. Em Julho de 2015 lançou seu primeiro EP, intitulado “Grandona pra Caralho”.


Faltou alguém de sucesso na lista? Deixa aí nos comentários!

As melhores cantoras da atualidade

Lista atualizada em 01/05/2019

Se você gosta de vozes femininas potentes, timbres marcantes e/ou uma afinação incrível veio ao lugar certo. Esta lista exibe quase 100 cantoras, consideras por muitos as melhores da atualidade. Confira!

Beyoncé

Rihanna

Adele

Ariana Grande

Dua Lipa

Sia Furler

Alicia Keys

Lady Gaga

Jessie J

Demi Lovato

Mariah Carey

Shakira

Katy Perry

Taylor Swift

P!nk

Christina Aguilera

Myley Cyrus

Lana Del Rey

Kelly Clarkson

Selena Gomez

Florence Welch

Jennifer Hudson

Alessa Cara

Lorde

Jennifer Lopez

Fergie

Leona Lewis

Lily Allen

Maddona

Meghan Trainor

Ellie Goulding

Hayley Williams

Norah Jones

Rita Ora

Grace Wanderwaal

Zara Larsson

Aurora

Anna Kendrick

Ciara

Amy Lee

Lauryn Hill

Joss Stone

Brittany Howard

Colbie Caillat

Louisa Johnson

Anitta

Hailee Steinfeld

Birdy

Marina Lambrini Diamandis

Christina Perri

Victoria Justice

Jess Glynne

Mabel

Anne-Marie

Britney Spears

Daniela Andrade

Major Lazer

Gwen Stefani

ZZ Ward

Fiona Apple

Annie Lennox

Tove Lo

Chaka Khan

JoJo

Emeli Sandé

Laura Mvula

Willow Smith

Sara Bareilles

Paloma Faith

Foxes

Grace Sewell

Cécile McLorin Salvant

Jillian Hervey

Jorja Smith

Corinne Bailey Rae

Lainne La Havas

Selah Sue

Alma-Sofia

Sabina Dbumba

Miriam Bryant

Peg Parnevik

Seinabo Sey

Astrid S

Ella Henderson

Ella Eyre

Sinead Harnett

Delta Goodrem

Loreen

Duffy

Molly Sandén

Incríveis projetos de arte, design, música e literatura para exercitar a criatividade

Lista atualizada em 01/05/2019

Se você é da área ou acompanha há algum tempo canais que falam sobre arte e design já deve ter ouvido falar de projetos como o Inktober ou 36 Days of Type. Ambos são projetos colaborativos onde participam diversas pessoas ao redor do mundo elaborando incríveis trabalhos.

Pensando nisto resolvemos abranger um pouco mais e fazer uma lista de outras iniciativas desafiadoras para exercitar a criatividade. Além disso todas elas tem em algo em comum: é preciso se comprometer e colocar as mãos na massa. Apesar de dar trabalho participar e exigir muita dedicação as pessoas que fazem parte disto afirmam que é algo divertido e gratificante, então que tal tentar alguma delas?

Confira abaixo desafios colaborativos e concursos de arte, design, literatura, cinema e fotografia para exercitar sua criatividade!

Alguns projetos aqui listados podem não estar mais ativos, no entanto estão listados para inspirar você a criar seu próprio desafio.

ARTE E DESIGN

36 Days of Type

(36 Dias de Tipografia)

Crie um alfabeto customizado, sendo 1 letra/tipo por dia (incluindo os números)

Inktober

Faça e publique uma ilustração por dia durante outubro.

Drawcember

Faça e publique uma ilustração por dia durante dezembro.

30 Characters Challenge

(Desafio dos 30 Personagens)

Crie e ilustre 30 personagens em 30 dias.

Desafio 2Minds

Toda semana você tem um tema para fazer uma ilustração.

NaNoMangO

Desenhe uma mangá, sendo 30 páginas em 30 dias.

24 Hour Comics Day

(24 Horas Dia de Quadrinhos)

Crie 24 páginas em 24 dias e publique um HQ.


LITERATURA

National Blog Posting Month, NaBloPoMo

(Mês Nacional da Postagem em Blog)

30 dias, 30 posts. Faça um post em seu blog todos os dias durante um mês.

Blogging from A to Z Challenge

(Desafio Blogando de A a Z)

Blogueie tematicamente através do alfabeto durante o mês (exceto aos domingos).

Story-A-Day in May

(Uma História por Dia em Maio)

Escreva (e termine) um conto todos os dias durante maio e/ou setembro.

National Journal Writing Month

(Mês Nacional da Escrita em Diário)

Escreva diariamente em um diário durante um mês.

Book in a Week

(Livro em uma Semana)

Escreva um livro durante a primeira semana em cada mês do ano.

Write-a-book-in-a-day

(Escreva um livro em um dia)

Escreva, edite, ilustre e encaderne um livro infantil em 12 horas. É preciso pagar uma taxa para participar deste desafio de forma oficial.

Historical Novel Writing Month, HistNoWriMo

(Mês da Escrita de Romance Histórico)

Escolha um objetivo e escreva em um mês um romance histórico que se passe antes dos anos 2000.

January Novel Writing Month, JanNoWriMo

(Janeiro Mês de Escrita de Romance)

Escreva um romance no mês de janeiro.

WriYe

Anteriormente NaNo no WriYe, é um evento onde é preciso escrever um romance por ano com no mínimo 50 mil palavras.

6 Months, 6 Novels

(6 Meses, 6 Romances)

Neste projeto é preciso escrever 6 romances em 6 meses sendo 1 por mês.

National Haiku Writing Month

(Mês Nacional da Escrita de Haiku)

Escreva um Haiku (é uma forma curta de poesia japonesa) em cada dia de fevereiro.

National Poem Writing Month, NaPoWriMo

(Mês Nacional da Escrita de Poema)

Escreva um poema por dia durante o mês de Abril.

Three-Day Novel Contest

(Concurso Romance em 3 dias)

Escreva um romance em 3 dias.

 Gothic Novel Writing Month, GothNoWriMo

(Mês de Escrita de Romance Gótico)

Escreva um romance gótico em 1 mês.

June Novel Writing Month, JuNoWriMo

(Junho Mês de Escrita de Romance)

Escreva um romance com no mínimo 50 mil palavras.

February Novel Writing Month

(Fevereiro Mês de Escrita de Romance)

Escreva um romance em fevereiro.


CINEMA E FOTOGRAFIA

Festival do Minuto

Faça um vídeo de até 1 minuto de acordo com o tema proposto.

48 Hour Film Project

(Projeto de Filme em 48 Horas)

Equipes devem escrever, filmar, editar e publicar um filme em 48 horas.

31 Plays 31 Days

(31 peças teatrais, 31 dias)

Uma nova peça teatral todos os dias do mês de agosto com no mínimo 1 página.

January Animation Month

(Janeiro Mês da Animação)

Crie 31 animações em janeiro.

The 365 Project

(Projeto 365)

Documente sua vida com fotografia tirando uma foto por dia durante um ano.


MÚSICA

Album-a-Day

(Álbum por Dia)

Escreva, produza e publique um álbum musical  com 20 minutos ou 30 músicas num período de 24 horas.

SongFight!

(Luta das Músicas)

Neste projeto os colaboradores escrevem uma música a partir do título que foi dado. O público vota e o vencedor pode ser gabar.

The 50/90 Challenge

(Desafio 50/90)

Escreva 50 músicas em 90 dias. Geralmente o projeto começa de4 de julho e vai até primeiro de outubro.

February Album Writing Month, FAWM

(Fevereiro Mês de Escrita de Álbum)

Escreva 14 músicas em 28 dias.

RPM Challenge

(Desafio RPM)

Grave um álbum com 10 músicas ou de 35 minutos em fevereiro.


OUTROS

Lettermo

(Mês do Envio)

No mês de fevereiro, envie pelo menos um item pelo correio todos os dias. Escrever um cartão postal, uma carta, enviar uma foto, ou um corte de um jornal, ou uma amostra de tecido.

Vlog Everyday in April, VEDA

(Vlog Todo Dia em Abril)

Neste desafio é preciso produzir e postar um vídeo original por dia durante o mês de abril.


Sabe de mais algum projeto/desafio para exercitar a criatividade? Deixa aí nos comentários!

As mulheres no rap nacional

Lista atualizada em 02/05/2019

Desde que chegou ao Brasil, no fim da década de 70, o Rap foi feito por homens. São grandes nomes Sabotage, Thaíde, MV Bill, D2, Gabriel o Pensador, o grupo Racionais Mc’s, o grupo Facção Central, Realidade Cruel, Quinto Andar e muitos outros rappers que tem sido destaque na atualidade como Kamau, Shawlin, Marechal, Emicida, Projota, etc.

E onde estão as mulheres?

As mulheres tem começado a aparecer na mídia há pouco tempo. Com a internet democratizando a criação de conteúdo, somando-se o movimento feminista, algumas rappers tem sido alavancadas e mostrado que rap não é coisa só de homem.

Abaixo você irá conferir uma lista de talentosas rappers mulheres que tem muito a dizer fazendo um som de qualidade.

Negra Li

Negra Li, nome artístico de Liliane de Carvalho (São Paulo, 17 de setembro de 1979), é uma cantora, compositora, rapper e atriz brasileira. Solista do coral da Universidade de São Paulo, ela estuda música e piano e é considerada uma das principais cantoras com sua bela voz de contralto. Negra Li iniciou sua carreira musical com o grupo de rap RZO, em seguida iniciou parceria com o rapper Helião, e atualmente a cantora está em carreira solo.

Karol Conka

Karoline dos Santos de Oliveira (Curitiba, 1 de janeiro de 1987), mais conhecida como Karol Conka, é considerada uma das principais representantes do Rap feminino dos últimos tempos no país, sendo indicada a “Aposta” no VMB 2011. Começou sua carreira em um concurso escolar, até gravar sua primeira música demo, disponibilizando suas canções em seu myspace oficial e mais tarde fazendo uma parceria com o rapper Projota, na canção “Não Falem!”.

Lívia Cruz

Aos 25 anos de idade, a cantora Lívia Cruz desponta como uma das principais expoentes da presença feminina no hip-hop brasileiro – um universo em que, ainda hoje, predominam as vozes masculinas. Compõe e canta desde os 14 anos, época em que participava de grupos de rap iniciantes de sua cidade natal, Recife (PE). Quando optou por seguir a carreira musical, Lívia Cruz decidiu mudar-se para o Rio de Janeiro, em busca de mais oportunidades na profissão. Lá, passou a integrar o coletivo Brutal Crew e gravou sua primeira música, “Viúva rainha”. A canção lhe rendeu, em 2003, uma indicação ao Prêmio Hutuz, o maior festival de hip-hop com premiação da América Latina.

Flora Mattos

Flora Matos (Brasília, DF, 18 de novembro de 1988) é uma cantora de rap brasileira. Considerada por muitos como uma das mais promissoras MCs do país, ela lançou em 2009 seu primeiro álbum, Flora Matos vs Stereodubs. Criada por uma família de artistas, aos quatro anos de idade já subia aos palcos da banda “Acarajazz”, que acompanhava o compositor baiano Renato Matos, pai de Flora. Em 2002, aos treze, passou a freqüentar bailes de RAP. Em 2006 aos 17 anos, Flora Matos se apresentou como MC ao lado de Dj Brother e recebeu o prêmio de melhor cantora do ano em Brasília. Em 2007, Gravou o remix da música “Véu da noite” da cantora Céu, produzido por Dj Kl Jay, e se mudou para São Paulo. Em 2008, Flora foi MC residente em boates da cidade se São Paulo, como Glória, Veggas, e Mood. Fêz shows pelo Brasil acompanhada de Dj Kl Jay, Dj Cia, Dj Lx, e Dj King. Em 2010 foi indicada ao VMB na categoria Aposta MTV. De 2013 a 2016 , Flora fez grandes shows por todo Brasil , se apresentou em programas de televisão como “Altas Horas” e “Esquenta”, além de se internar em alguns estúdios pelo Brasil para compor e produzir músicas pro seu disco solo, que por sinal é um dos álbuns de Rap mais aguardados dos últimos anos.

Dina Di

Dina Di, nome artístico de Viviane Lopes Matias (Campinas, de 1976 – São Paulo, 20 de março de 2010), foi uma rapper e cantora brasileira do rap nacional, vocalista do grupo Visão de Rua. Considerada a primeira mulher a alcançar sucesso no rap brasileiro, Dina Di iniciou sua carreira em 1989 e lançou diversos singles em sua carreira, com destaque para “A Noiva de Chuck”. Foi indicada a diversos prêmios e festivais brasileiros, com destaque ao Prêmio Hutúz, onde foi escolhida na categoria Melhores Grupos ou Artistas Solo Feminino da década. Lançou vários álbuns em parceria com o grupo Visão de Rua.

Drik Barbosa

A jovem cantora e compositora Drik Barbosa, que aprendeu a fazer freestyle na batalha do Santa Cruz e participou de músicas de artistas conhecidos, como, Flow MC, Amiri, Marcello Gugu e logo depois, Projota e Dj Caique. Em 2013, Drik teve colaboração na música do rapper Emicida “Aos olhos de uma criança” trilha do filme “O menino e o Mundo” – um longa metragem de animação feita por Alê Abreu.

Tássia Reis

Tássia Reis poderia simplesmente ser definida pelas suas características artísticas, como compositora e cantora, e já seria suficiente para que se escutasse com atenção este segundo trabalho da artista nascida em Jacareí há 27 anos, que faz do hip hop sua arma contra e à favor do mundo. Mas ela é bem mais que isso – é uma usina criativa de convicções, em que seu discurso tão feminista quanto libertário (nas mais diversas vertentes, da intolerância à opressão emocional) dita canções sublimes, embaladas por sua doce voz em gêneros abertos, do rap ao reggae. Tássia demorou a se entender artista. Durante a adolescência fez parte de grupos de dança urbana em Jacareí. Foi quando descobriu a Cultura Hip Hop e canalizou sua veia criativa para escrever dentro dos gêneros que este abrangia. Estava tão acostumada a ouvir Clara Nunes por influência da mãe quanto Jackson 5 por influência do pai e os raps de Sabotage, RZO, Expressão Ativa e Racionais MCs por força do irmão. Sua caneta correu ligeira em textos que já vinham acompanhados de melodias, com propostas de harmonias e arranjos. Foi assim que depois de se mudar para São Paulo, aos 20 anos, e concluir o curso de graduação em Moda, aceitou os elogios que sempre recebia por sua voz e colocou em estúdio na canção “Meu Rapjazz”. Era para ser parte de uma mixtape só de mulheres, que não vingou. Mas a canção serviu como trampolim para sua carreira. Lançada na Internet, a aceitação foi imediata, o que levou a equipe que começou a acompanha-la a produzir um clipe para a música. No primeiro dia, ao chegar a 10 mil views, ela teve certeza que acertara. Tanto que exato um ano depois saiu seu primeiro EP, batizado com seu próprio nome. Enquanto isso, sua participação em projetos foi crescendo. Foi convidada para cantar com Marcelo D2, gravou com Izzy Gordon, fez shows com a banda de jazzrap Mental Abstrato, foi para o universo das rimas femininas no projeto “Rimas e Melodias”, entrou para a discussão de gêneros que sempre propôs no “Salada de Frutas” e a posição política a levou a novas composições, que culminam neste “Outra Esfera”.

Tarja Preta

Dupla de RAP formada por Preta Rara e Negra Jack.

Luana Hansen

Aos 35 anos (em 2016), Luana já tem 16 de carreira e dedica sua música ao protesto de cunho feminista, negro e lésbico. Hoje é reconhecida dentro dos movimentos LGBT e feminista, já ganhou prêmios importantes como o Hutúz, foi convidada a cantar no primeiro Festival de Rap Feminista de Cuba e participou da minissérie “Antônia”, da Rede Globo.

Odisseia das Flores

O grupo de rap Odisseia das Flores é formado por Jô Maloupas, Chai, Letícia, que desde 2008 focam seu trabalho na luta pela valorização da mulher na sociedade. O grupo, que possui originalidade e protesto como postura principal, vem trazendo à tona o cotidiano, deixa forte e evidente a resistência feminina. Em 2010 conheceram DJ Dog que já passou por vários grupos conceituados de SP, o mesmo com sua experiência de mais de 15 anos no Rap Nacional, chega para somar com suas ideias inovadoras deixando esse trabalho mais dinâmico e original. As integrantes Jô, Chai e Letícia compõem e interpretam suas músicas, com influências da realidade que vive e diversas como:o Rap, Reggae, samba, capoeira, Maracatu, Blues e MPB. Odisseia das Flores participa e realiza também trabalhos sociais voltados para as comunidades da periferia de São Paulo. Atuando em eventos culturais a maioria feito por coletivos independentes das periferias, atividades em ONG’s e Associações, oficinas de M’C, palestras, debates e a elaboração de projetos sociais e culturais, casas de shows, eventos de rua entre outras celebrações.

Brisa Flow

Brisa De La Cordillera é cantora filha de chilenos, nascida em Belo Horizonte, criada em Sabará. Conhecida como Brisa Flow, a artista faz juz ao vulgo por ter uma musicalidade livre. Iniciou sua carreira em 2010 participando ativamente da cena cultural mineira. Em 2012 mudou-se para São Paulo onde participou de diversos projetos e eventos relacionados a música e aos direitos das mulheres. A música “As de cem” esteve entre as virais do Spotify em 2015 e recebeu o prêmio Olga “Mulheres Inspiradoras”. Em 2016 lançou seu disco “Newen” de forma independente, o trabalho esteve entre as listas dos melhores discos do ano selecionados pelo Estadão, Brasileiríssimos e Noticiário Periférico.

Preta Rara

Quando ainda era mais conhecida como Joyce Fernandes, Preta-Rara já escrevia poesia. Com 12 anos de idade, ela começou a se interessar pela rima, muito antes de fazer rap. “Meu pai era colecionador de discos. Ele não achava legal mulher cantando rap. Dizia que rap tinha que ter uma voz de peso”, conta Preta. Anos depois, o pai acabou mudando de opinião. Nascida e criada em Santos, no litoral de São Paulo, Preta-Rara começou a cantar na igreja, junto a família. Mais tarde, já com 20 anos, ela montou o grupo Tarja Preta. A parceria durou até 2013, quando a artista resolveu seguir carreira solo. O primeiro CD, chamado Audácia, foi lançado em outubro de 2015. Além de cantar, Preta também é militante, turbanista, dona de uma marca de roupas e professora de história. O conhecimento passado em sala de aula está bastante presente nas músicas, que ainda falam de empoderamento feminino, racismo e de experiências vividas pela rapper.

Mc Soffia

MC Soffia começou a sua carreira aos 6 anos de idade, logo após participar do projeto “O Futuro do Hip Hop”. Hoje, com 12 anos, gosta de produzir sons contestadores sobre paradigmas sociais. Para ela, nascida e criada na periferia de São Paulo, o rap significa “música de força e resistência”. A rapper mirim já se apresentou em eventos como, por exemplo, a Virada Cultural de São Paulo e o Festival Afro-latinidades em Brasília. Atualmente, MC Soffia está em fase de pré-produção do seu primeiro álbum, intitulado “Menina Pretinha”.

Mayarah Magalhães

Mayarah Magalhães tem um contato com a música muito forte desde criança, neta de músico e filha de amantes da música sempre esteve com a música presente em sua vida . Surgindo o interesse pelos palcos na adolescência e começando assim também a compor de uma forma natural . Passou a estudar canto popular na cidade onde residia . Desde então tem buscado e conseguido seu espaço por onde passa com suas canções e sua voz marcante. A cantora recentemente lançou uma demo soltando algumas de suas músicas para o um conhecimento do público ao seu trabalho e está se preparando para lançar um novo trabalho em 2014.

D’origem

Com forte presença feminina no cenário rap, o grupo D’ Origem trás, muita verdade, Meire Mc e Preta Ary, resgatam de forma divertida e irreverente, assuntos do cotidiano brasileiro que, na opinião do grupo devem ser discutidos e assim o fazem em forma de rap. Cada musica cantada pelas Mestras de Cerimonia, mostra as influências e a essência do grupo, suas músicas tem representatividade, principalmente para as mulheres e em sua maioria negras, que se identificam com as letras que compõem o repertório. As letras tem intervenções feitas pelo DJ do Grupo D’ Origem, DJ MD, que participa de forma brilhante com seus scratchs e colagens que aproximam o público de artistas como Cassiano e Gonzaguinha, que cantam a verdade do nosso país.

Amanda NegraSim

Amanda Cristina Silva dos Santos nasceu em Cotia, SP. Criada numa família que sempre valorizou a cultura negra, Amanda participava desde muito pequena da Congada de São Bendito, festa tradicional de Cotia, que foi trazida há 60 anos pelo seu tio, Benedito Pereira de Castro, o conhecido mestre Dito de Cotia. O trabalho como repórter lhe rendeu convite para participar do grupo de rap OFL – Os fora da Lei, como baking vocal. Após, Amanda decidiu formar o grupo Impacto Feminino, e de lá para cá, vem trabalhando em parceria com muitos artistas. Mesmo com a agenda lotada, Amanda ainda faz parte e contribui com diversos coletivos do Hip Hop Brasileiro e Mundial. A artista também atuou por muitos anos como coordenadora do projeto Inverso Feminino no Núcleo Zumaluma, e como arte educadora no Projeto Mais Educação.

Priscilla Feniks

Da representação de força do lendário pássaro da mitologia egípcia Fênix nasceu o nome artístico de Priscilla, nascida há 33 anos em Porto Alegre, e que há 10 anos encarou o mundo mudando-se para o bairro Cidade de Deus no Rio de Janeiro. Atualmente residindo em São Paulo, Priscilla Feniks já participou de diversas produções artísticas e põe foco na divulgação de seu 1º CD, que reúne letras e ideias escritas há mais de 15 anos. Já participou de shows e eventos em diversas cidades, como Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, e claro, São Paulo. Reconhecida por sua atuação no cenário dos movimentos socioculturais e pela idealização do Baile Soul Brasil – que acontecia na Rua 24 de Maio, região central de SP – vem apresentando o seu trabalho solo em diversas cidades do estado e com o objetivo de fortalecer o rap feminino. Teve grande repercussão quando o site PalcoMp3 – o maior site de música independente do país – destacou-a na página principal, gerando mais de 400 mil plays em pouco tempo. Existe muita história para contar sobre Priscilla Feniks, que põe a mão na massa quando percebe a necessidade de uma atuação maior em prol a Cultura Hip-Hop. Seja realizando oficinas, formando público, elaborando projetos, ou claro, fazendo as suas músicas.

Pamelloza Carvalho

Pamela Carvalho, nascida na Zona oeste de SP em 1982. Pamela (Pamelloza) cresceu no meio da música graças a seus pais e principalmente seu avô, que sempre levava ela nos ensaios do grupo de Samba dele o “Redução de Jornada”. Foi integrante de um grupo de Rap chamado Aclive, após isso começou a gravar em estúdio com o produtor musical Emerson Tripa, feito que abriu muitas portas.

Alt Niss

Nascida no final dos anos 80, na zona sul de São Paulo, desde pequena teve influencia dos bailes de “Melodia”, “Flash Back” que sua mãe e seus tios frequentavam, dos discos e sons que rolavam em casa sempre. E que mais tarde, chamando de R&B, se descobriu inteiramente parte. Descobriu que gostava de cantar lá por volta de 9 anos de idade, profissionalmente aos 17. Fez alguns trabalhos como Backing Vocal em diversos segmentos incluindo onde ela atua como artista (Soul, R&B, Rap…). Incluindo artistas como Slim Rimografia, Filiph Neo, Amiri, Renan Samam, Dee, Tatiana Bispo, Drik Barbosa, etc.. Tanto em estúdio como ao vivo. Fez parte do time que compunha uma das mais importantes festas de R&B ao vivo de São Paulo, a Golden, que fazia releituras de clássicos do R&B e Neosoul dos anos 90 e 2000.

Cintia Savoli

Natural de Brasilia, Cintia Savoli iniciou seus passos no mundo da música cantando bossa nova, samba e chorinho influenciada por sua mãe. Em 1998 começou seu trabalho independente cantando e tocando teclado na Banda de Reggae Arawaks. Nesse tempo dividiu palco com grandes artistas nacionais e internacionais entre eles: Ponto de equilíbrio, Marcelo D2, Natiruts, Tom Zé, Calton Coffie, Junior Gong, Aplha Blond entre outros. O rap bateu em sua porta em 2005 quando foi chamada para compor um grupo chamado Artigo do Rap e logo em seguida um grupo de rap feminino intitulado Poder Feminino. Sua voz, rima e flow fazem toda a diferença no cenário do rap feminino pois sua marca é forte e contundente, o que deixa bem claro nos shows e emociona o publico fazendo-o refletir. Atualmente residindo em Salvador, Cintia lançou seu primeiro CD solo com a produção de Diego Wu 57 que conta com diversas participações dos melhores da cena do rap soteropolitano (Nova Era, Samuel PX, Tiago Negão, Galf Aspecto Cordial, Diego 157) e tem uma parceria firmada com a MC manauense Mirapotira também residente de Salvador. Recentemente Cintia e Mirapotira lançaram o videoclipe intitulado “Sobrevivente da rua”.

A’s Trinca

Diretamente do bairro de Cidade Tiradentes, Zona Leste de São Paulo, A’s Trinca, iniciou sua trajetória no ano de 2012, com suas letras expressivas, mostrando suas ideologias e a valorização da mulher carregando muita história e experiência desde os anos 2000.

Lurdez da Luz

Lurdes da Luz (estilizado para nome artístico de Lurdez da Luz), é uma rapper integrante do grupo Mamelo Sound System. Lurdez é originária de São Paulo capital, mãe solteira de um filho, iniciou seu gosto pelo rap em 1994, e pelo final do da década de 90, ingressou no grupo de hip hop Mamelo Sound System, como vocais principais e secundários. Ela iniciou sua carreira solo em 2009. Em 2010 ela lançou o primeiro single, Andei, para à promoção de sua primeira gravação solo de estúdio, o EP Lurdez da Luz (álbum). Tal faixa também recebeu videoclipe, que foi indicado ao Video Music Brasil 2011 como o “Melhor Videoclipe”. Lurdez, ainda em 2008, gravou uma colaboração com o grupo 3 na Massa, na faixa “Sem Fôlego”, para o seu primeiro álbum de estúdio. Luz já colaborou com rappers e cantores como Rodrigo Brandão, Jorge Du Peixe, MC Stefanie, Rob Mazurek, Chicago Underground e Exploding Star Orchestra, além de Guilherme Granado do Hurtmold e Bodes & Elefantes; tais como os produtores músicais DJ Mako, DJ PG e Rump. Lurdez já fez parcerias nacionais com artistas como Black Alien, Naná Vasconcelos, DJ Marky, Nação Zumbi, J.T. Meirelles, Mundo Livre S/A, Hurtmold e Thaíde & Dj Hum, e também colaborações internacionais, como com Afrika Bambaataa, Wax Poetic, DJ J.Period do Zion I; e Rahzel, o beatboxer do grupo The Roots.

Cris SNJ

SNJ (sigla de Somos Nós a Justiça[2]) é um grupo de rap brasileiro formado em São Paulo, brasil. Formado em 1996, o grupo voltou após uma pausa com uma nova formação: Sombra, Cris, Rebeld, Minari, Cabeça e DJ Gilmar de Andrade. O SNJ tem seis CDs e um DVD lançados. “SNJ – A sigla” Single 1997 – “Somos Nós” CD 2000 – “O show deve continuar” CD 2003 – “Sai pra lá negativismo” CD e DVD ao vivo 2005 – “A esperança é o alimento da alma” CD 2007 e “Origens” EP 2012. Cris foi a única que desde que entrou (ao substituir Rebeld), nunca saiu do grupo.

Nabrisa

Sabrina Tonett, a “Nabrisa”, integrante do Grupo ” G98 Rap ” começou a dar os seus passos no mundo da música aos 7 anos de idade, teve como influências musicais Legião Urbana, Bob Marley ,Racionais MCs, Sabotage … e já fez parte de um grupo de Reggae / Rap intitulado ” PR12 “.

Issa Paz

Issa Paz tem 24 anos e canta RAP desde os 12. Conciliando estudo, projetos e música, é formada em Marketing e possui formação profissional em Design e Webdesign. Hoje mora na Zona Norte de São Paulo aonde já desenvolveu projetos socioculturais sendo educadora no Cine Rima Vida, lecionando oficinas de literatura e poesia, além de coordenar o projeto junto ao coletivo 3L. Atualmente faz parte do selo DMNA Produções e agora em turnê com Sara Donato trabalha na divulgação do seu novo projeto: Rap Plus Size. Issa contará sobre sua carreira que anda lado a lado com sua militância contra o machismo e a gordofobia.

Sara Donato

Integrante do coletivo Frente Nacional Mulheres no Hip Hop, agora atua junto com Issa Paz no Rap Plus Size.

Yzalú

Yzalú (São Bernardo do Campo, 8 de setembro de 1982) é uma cantora, compositora de MPB brasileira. Ela tornou-se conhecida no movimento Hip Hop em interpretações de músicas clássicas e rap.A artista chamou a atenção ao interpretar a música Mulheres Negras, composta pelo rapper e escritor Eduardo, onde colocou muitos na sociedade denunciando e evidenciando a realidade das mulheres negras do Brasil.

Stefanie MC

Nascida e criada em Santo André influenciada pela militância politica de consagrados grupos de rap dos anos 90, ela decide ousar e criar a sua versão da história em 1997. Participou de projetos de destaques como o grupo de rap “Simples” e o coletivo “Pau-de-dá-em-doido”. Abriu show de grandes nomes como Dela Soul, Talib Kweli, Pharmonck e Hieroglyfics. Gravou com referências do rap nacional como Max BO, Lurdes da Luz, Shirley Casa Verde, Carol (Realidade Cruel), Arnaldo Tifu e a MC espanhola Indie Style. Em 2012 foi convidada a reescrever “Rua Augusta” , música de grande sucesso do MC Emicida. Dividiu o palco com Mano Brown, Negra Li, Vanessa Jackson e Flora Matos no projeto “Brown Convida”.

Dory de Oliveira

Dory, é paulista e moradora do bairro de itaquera Tem Alguns anos dedicados ao cenário do Rap Nacional, Militante do rap feminino com suas letras ousadas, criativas e inteligentes. Conheceu o DJ Betinho que morava na Vila Brasilândia, e resolveram montar uma dupla DD e DJ Beto fizeram alguns shows e gravações juntos. Já foi MC do rapper XIS e do grupo DMN.

Tatiana Bispo

Tatiana Bispo é cantora e compositora de São Paulo que atua no R&B, neosoul e Rap.

Omnira

Omnira é uma expressão yorubá que significa liberdade e é a palavra que denomina o grupo paulista composto por Juliana Sete, Paty Treze,Janaina D’Notria e Dj Neew. Criado em 2013 e tendo como foco o empoderamento negro e feminino e trazendo letras sobre as vivencias no hiphop, desde meados de 1999.

Lay

A cantora Lay, reconhecida internacionalmente com seu EP de estréia “129129” (2016), é uma das mais importantes novas vozes da música urbana brasileira. Para além da música, a cantora, nascida e criada em Osasco, mantém um experimento visual constante em seu Instagram @laydirty, com 24 mil seguidores, onde exercita seu estilo contemporâneo e vanguardista, alinhado às sempre mutantes tendências da moda de rua global, quase sempre em forte parceria com os melhores stylists e estilistas.

Mariana Mello

Mariana Mello é uma rapper de Santos, mais conhecida pelos seus singles Universo em Crise, de 2016, e Recato, de 2017.

Karol de Souza

Nascida e criada em Curitiba – PR iniciou no rap em sua cidade natal, porém passou a ter maior visibilidade em meados de 2010, quando já em São Paulo, realizou várias apresentações ao lado de Flora Matos, como backing vocal.

Azzy

Azzy é uma das artistas que começaram a ganhar destaque no rap nacional em 2018, tendo como faixas de destaque “Poesia Marginow”, “Buzz Lightyear”, ‘Te Levar” e suas participações em “Poetisas no Topo” em “Todo Mundo Odeia Acústico”.

Thai Flow

Expoente do Rap Feminino durante a tradicional Batalha do Real, em 2017, Thaina Denicia, mais conhecida como MC Thai Flow, começou a integrar o grupo Minas de Fato. Entusiasta da poesia e do lirismo nas letras, Thai já conquistou admiração dos adeptos do Rap Carioca, em vários vídeos e declamações de obras originais em sua rede social.

Lourena

Lourena foi revelada ao rap nacional em 2018 com o lançamento com de seu primeiro som no grito acústico.

Barbara Bivolt

Cheia de letras fortes, a cria de batalha de mcs se destaca com um trabalho responsável representando o a música RAP nacional. Em 2017 lança “DOCE”, freeverse que abriu caminhos para “OLHA PRA MIM” e “Entre Tu e Meu Som” singles do Album “MIXTAPELADO B”.

Souto MC

A vida online de Caroline Souto, ou melhor, Souto MC, como costuma utilizar, é marcada por seus posicionamentos políticos e engajamento em causas como o feminismo e a cultura hip hop.

Abronca

As integrantes May, Slick e Jay se conheceram no Nós do Morro, academia de teatro que fica dentro do morro do Vidigal e que já descobriu diversos talentos. Abronca é uma afronta. São as minas do gueto do RJ que dão a cara pra botar pro mundo. Elas carregam a verdade daquilo, colocam suas experiencias nas músicas.Sabe de mais alguma rapper que merece estar na lista? Bota aí nos comentários.

Melhores bandas de ska do Brasil

Lista atualizada em 02/05/2019

Se você não conhece muito ou simplesmente desconhece o Ska, essa é uma ótima oportunidade para entender melhor o que são essas vibrações jamaicanas, misturadas ao jazz, R & B e uma pitada de Rock, com temáticas cotidianas e contestadoras e acima de tudo, essa atmosfera divertida inerente ao ritmo.

No grande público, bandas como Os Paralamas do Sucesso, Ultraje a Rigor, Skank, Charlie Brown Jr, Móveis Coloniais de Acaju e Forfun abraçaram o gênero. Mas é no cenário independente que o Ska verdadeiramente acontece. O cenário independente brasileiro guarda grandes talentos que são verdadeiros achados para os seus ouvintes. Por isso, As Super Listas decidiu trazer um compilado do que há de melhor no Ska Undergorund do Brasil. Confira a lista!

Música Agosto

Música Agosto é uma banda de São Paulo-SP que mescla o Rock’n roll e o Ska com letras contestadoras e traz influências de Mighty Mighty Bosstones, The Slackers e Red Hot Chilli Peppers.

Orquestra Brasileira de Música Jamaicana (OBMJ)

Orquestra brasileira de música jamaicana (OBMJ) é uma big band de São Paulo Capital que toca clássicos brasileiros.

Abaskadabra

Abaskadabra é uma banda de Curitiba – PR que compõe em inglês com fortes influências de bandas americanas como Flogging Molly, Less Than Jake e Reel Big Fish.

Sapo Banjo

Traz um estilo despojado, sarcástico e também politizado. É uma das bandas de Ska brasileiras há mais tempo na estrada.

Legalê

Legalê vem de Bauru-SP e também mescla Rock com Ska, Grooves e Psicodelias.

Desorquestra

Desorquestra é de Belo Horizonte-MG e tem composições sobre temas bem cotidianos com influências de Sublime, Mad Caddies, Los Hermanos e Paralamas do Sucesso.

Ba-Boom

O Baboom é uma banda de São Paulo (ABC) que traz sons tradicionais do afoxé, samba e baião aliado à música jamaicana.

La Digna Rabia

La digna Rabia é uma banda de Porto Alegre-RS que canta em espanhol.

Skabong

Skabong vêm do nordeste do Brasil, Aracaju-SE e fazem músicas em inglês.

Clarence

Banda de ska bauruense com muita personalidade.

Coquetel Acapulco

Um ska bem tranquilo e com vocais femininos direto do Rio de Janeiro.

Skafandros Orkestra

Skafandros Orkestra é uma banda com 11 músicos vinda de Campinas que faz música instrumental.

Skamoondongos

Skamoondongos-Banda Paulistana de Ska Punk.

Pequena Morte

Ska (ou não) de Belo Horizonte, Minas Gerais.

Skavarone

Banda goiana de Ska, Rocksteady e Reggae.


Sabe de mais alguma boa banda de ska que merece estar nesta lista? Bota aí nos comentários!

OS MELHORES BLOGS DE MÚSICA DO BRASIL

De tempos em tempos temos aquela banda que nos excita, aquela música que nos anima, aquele estilo que nos comove. A música tem disso, e por isso não é possível viver sem, mas até a melhor banda e a melhor música enjoa as vezes. Então é preciso descobrir coisa nova. O Brasil tem muitos bons blogs que podem te oferecer novas experiências quando o assunto é música e ainda te trazer notícias dos seus ídolos. Selecionamos os melhores blogs nacionais que falam de música. Confira! Continuar lendo “OS MELHORES BLOGS DE MÚSICA DO BRASIL”

Os melhores blogs de música do Brasil

Lista atualizada em 28/01/2019

De tempos em tempos temos aquela banda que nos excita, aquela música que nos anima, aquele estilo que nos comove. A música tem disso, e por isso não é possível viver sem, mas até a melhor banda e a melhor música enjoa as vezes. Então é preciso descobrir coisa nova. O Brasil tem muitos bons blogs que podem te oferecer novas experiências quando o assunto é música e ainda te trazer notícias dos seus ídolos. Selecionamos os melhores blogs nacionais que falam de música. Confira! Continuar lendo “Os melhores blogs de música do Brasil”

MELHORES BANDAS BRASILEIRAS DE ROCK QUE CANTAM EM INGLÊS

Se alguém te disse que no Brasil não se faz rock em inglês de qualidade estava tremendamente enganado. Algumas bandas de diversos estados brasileiros podem nos provar isso, elas não perdem em nada para as bandas gringas. Continuar lendo “MELHORES BANDAS BRASILEIRAS DE ROCK QUE CANTAM EM INGLÊS”

Melhores bandas brasileiras de rock que cantam em inglês

Lista atualizada em 28/01/2019

Se alguém te disse que no Brasil não se faz rock em inglês de qualidade estava tremendamente enganado. Algumas bandas de diversos estados brasileiros podem nos provar isso, elas não perdem em nada para as bandas gringas.

Abaixo você confere as melhores bandas formadas no Brasil que fazem um belo rock quase anglicano/americano:

Ego Kill Talent

Banda de São Paulo com guitarras pesadas e vocal melódico.

Lembra: Stoner Sour / Chevelle

Far From Alaska

Banda de rock potiguar com vocal feminino e sintetizador.

Lembra: The Kills / The Dead Weather

Name The Band

Banda formada em SP, agora situada nos EUA, que toca indie rock.

Lembra: The Strokes

Black Drawing Chalks

Banda de Goiás com um stoner bem trabalhado. Destaque ao baterista Douglas Pereira.

Lembra: Fu Manchu / Queens Of The Stone Age

Hover

Banda carioca com uma pegada pop rock.

Lembra: Four Year Strong / Fall Out Boy / 30 Seconds to Mars / Panic at The Disco

Cruz

Banda de rock que vive nos EUA. Da lista a que mais tem os vocal grave e rasgado.

Lembra: 12 Stones / Pearl Jam / Daughtry / Nickelback

Dry

Banda famosa no cenário stoner de goiás faz um rock de muita qualidade.

Lembra: Alice In Chains / Corrosion of Conformity / Soundgarden

Muddy Brothers

Banda do ES que toca um blues-rock psicodélico.

Lembra: The White Stripes / Wolfmother / Greenleaf / Black Sabbath

Water Rats

Banda curitibana que toca punk de garagem. Rock n’ roll de primeira!

Lembra: The Hives

Young Lights

Rock leve misturado ao folk e ao new wave.

Lembra: Coldplay

The Shorts

Uma banda bluenoise de Curitiba com vocal suave e guitarras.

Lembra: Garbage / The Cranberries

Dogman

Mais uma boa banda de Goiás que toca um grunge/stoner.

Lembra: Alice In Chains / Black Label Society / Red Fang / Black Sabbath

Sound Bullet

Banda do Rio de Janeiro, que não canta primordialmente em inglês, mas deveria…

Lembra: Kings of Leon / The Killers

Gloves

Banda do rio que toca um rock tranquilo.

Lembra: Linkin Park / Incubus

Hellbenders

Mais uma de Goiás. Essa é mais pesada, toca um metal com vocais bem rasgados.

Lembra: Motorhead / Redfang / Down

Muñoz

Blues Rock de Minas de alta qualidade feito por um dueto.

Lembra: Kadavar / The Black Keys / Graveyard

Red Boots

Dueto do RN que faz um stoner dos melhores.

Lembra: The Black Keys / Queens Of The Stone Age

Bullet Bane

Pra quem gosta de hardcore e post-hardcore essa é a banda indicada. Formada em São Paulo.

Lembra: He is Legend / Comeback Kid / Norma Jean

The Outs

Essa banda toca um neo-psychedelic que nos faz voltar no tempo. Formada no Rio.

Lembra: The Beatles

Taunting Glaciers

Banda de Santa Catarina que faz um som instrumental tranquilo enquanto o vocal mostra toda sua melancolia.

Overfuzz

Banda de Goiás que traz guitarras rápidas e um vocal roco e rasgado.

Lembra: Motorhead / Avenged Sevenfold / Skillet

Twin Pumpkin

Guitarras bem trabalhadas numa mistura de indie com punk.

Lembra: Placebo / Hole / The Mars Volta

Hammer Head Blues

Trio de blues rock com influências dos anos 70.

Lembra: Deep Purple / Black Sabbath

Tabascos

Banda do RS que toca um indie.

Lembra: The Strokes

Garage Fuzz

Banda das antigas que ajudou a trazer o hardcore para o Brasil.

Lembra: Set Your Goals / Propagandhi / Descendents

Angra

Formada em SP é a banda mais bem sucedida do Brasil de heavy-metal.

Lembra: Iron Maiden / Avantasia / Demons & Wizards /

Sepultura

A mais famosa banda do Brasil a nível mundial. Formada em MG toca um rock pesado com vocal gultural.

Lembra: Soufly / Machine Head / Fear Factory / Slayer / Pantera


Sabe e mais alguma boa banda que canta em inglês? Conta pra gente nos comentários!

MELHORES BANDAS NACIONAIS DE STONER ROCK

Para quem não sabe há espalhado no Brasil bandas impressionantes influenciadas pelo estilo de rock psicodélico Stoner. Inicialmente o movimento rockeiro apareceu no estado goiano com a banda MQN, hoje extinta. Já nos dias atuais diversas bandas usam guitarras lentas e sujas, fundindo o estilo do final dos anos 80 com outros estilos, assim como faz a icônica Queens Of The Stone Age, braço da famosa banda Kyuss. Fizemos uma lista com as melhores bandas nacionais que são ou tem um pé no estilo:

Dry – Goiás – Stoner / Hard Rock 

Red Boots – Rio Grande do Norte – Grunge / Indie / Stoner

The Muddy Brothers – Espírito Santo – Blues Rock / Hard Rock / Stoner 

Muñoz Duo – Minas Gerais – Stoner / Blues Rock / Acid Noise 

Disaster Boots – Paraná – Stoner / Blues Rock 

Black Drawing Chalks – Goiás – Hard Rock / Stoner 

Hellbenders  – Goiás – Hard Rock / Stoner 

Dogman – Goiás – Stoner / Grunge / Doom Metal 

Marrero – São Paulo – Stoner / Hard Rock

Amp – Pernambuco – Stoner / Hard Rock 

Cherry Devil – Goiás – Hard Rock / Stoner 

Overfuzz – Goiás – Hard Rock / Stoner 

Pantanum – Paraná – Stoner / Doom Metal 

Red Mess – Paraná – Stoner / Doom Metal

Son of A Witch – Rio Grande do Norte – Stoner / Doom Metal 

Monte Resina – Santa Catarina – Stoner / Metal / Instrumental Rock 

Saturndust – São Paulo – Stoner / Doom Metal

Pesta – Minas Gerais – Stoner / Doom Metal 

Mondo Bizarro – Pernambuco – Stoner / Hard Rock

Grindhouse Hotel – São Paulo – Stoner 

Letters From – Rio de Janeiro – Stoner / Doom Metal

Fuzzly – Mato Grosso – Stoner 

Blind Horse – Rio de Janeiro – Stoner / Hard Rock / Blues Rock

Space Guerrilla – Rio Grande do Sul – Stoner

Red Light House – Goiás – Hard Rock / Punk / Stoner 

Japanese Bondage – São Paulo – Stoner 

Huey – São Paulo – Stoner / Blues Rock / Acid Noise / Rock n’ Roll 

Australopithecus – São Paulo – Stoner / Doom Metal

Far From Alaska – Rio Grande do Norte – Alternative / Hard Rock / Stoner 

Macaco Bong – Mato Grosso – Instrumental Rock / Stoner 

Arcazas – São Paulo – Instrumental Rock / Stoner 

Monster Coyote – Rio Grande do Norte – Metal / Stoner

Old Stove – Bahia – Stoner

Isso – Minas Gerais – Grunge / Stoner

The Arataca Stoned Farmer – Santa Catarina – Stoner / Doom Metal

Hammerhead Blues – São Paulo – Stoner / Blues Rock

Thymus Boogie – São Paulo – Stoner / Doom Metal

Billy Goat – Rio de Janeiro – Stoner


VEJA TAMBÉM:

GRANDES RAPPERS NACIONAIS DA ATUAL GERAÇÃO

Enquanto a galera da internet discute o que é e o que não é modinha estes rappers estão ocupados fazendo as rimas da vez. Eles aparecem em todo canto mandando a real, falando da sociedade, do amor e da ostentação, com flow eles vão mostrando que o RAP nacional ainda tem voz. Fizemos uma lista dos grandes nomes do RAP nacional da atual geração:

Racionais Mc’shttps://www.facebook.com/racionaiscosanostra (+6 milhões)

Projotahttps://www.facebook.com/McProjota (+6 milhões)

Gabriel o Pensadorhttps://www.facebook.com/GabrielOPensadorOficial (+3 milhões)

Marcelo D2https://www.facebook.com/marcelodedois (+3 milhões)

Emicidahttps://www.facebook.com/EmicidaOficial (+3 milhões)

Negra Li – https://www.facebook.com/negralibrasil (+1,5 milhões)

ConeCrew Diretoriahttps://www.facebook.com/ConeCrewDiretoriaOficial – (+1 milhão)

Criolohttps://www.facebook.com/criolo.oficial (+1 milhão)

Rashidhttps://www.facebook.com/RashidOficial (+1 milhão)

Fabio Brazza – https://www.facebook.com/FabioBrazza (+320 mil)

Raelhttps://www.facebook.com/OficialRael (+300 mil)

Haikaisshttps://www.facebook.com/Haikaiss (+300 mil)

Nemo – https://www.facebook.com/nemooficial (+250 mil)

Cacife Clandestino – https://www.facebook.com/cacifeclan (+160 mil)

Karol Conkahttps://www.facebook.com/karolconka (+140 mil)

Kamauhttps://www.facebook.com/MCKamau (+100 mil)

RAPadura – https://www.facebook.com/rapadurabrasil (+100 mil)

Shawlin – https://www.facebook.com/ShawlinMC (+100 mil)

Slim Rimografiahttps://www.facebook.com/SlimRimografiaOficial (+90 mil)

Flávio Renegadohttps://www.facebook.com/flaviorenegado (+90 mil)

Daniel Shadow – https://www.facebook.com/daniel.shadow (+90 mil)

Marechalhttps://www.facebook.com/vamosvoltararealidade (+80 mil)

Rapin Hood’ – https://www.facebook.com/RappinHoodOficial

Black Alien – https://www.facebook.com/blackalienofficial (+60 mil)

Inquéritohttps://www.facebook.com/inquerito (+50 mil)

Parteumhttps://www.facebook.com/muetrap (+50 mil)

Felipe Rethttps://www.facebook.com/FilipeRetS2 (+50 mil)

Rodrigo Ogi – https://www.facebook.com/RodrigoOgi (+50 mil)

Xará – https://www.facebook.com/OficialXara (+40 mil)

AXLhttps://www.facebook.com/AXLOficial (+30 mil)

Família Madáhttps://www.facebook.com/FamiliaMadaOficial (+30 mil)

Douglas Din – https://www.facebook.com/douglasdinoficial (+10 mil)

Well Mc – https://www.facebook.com/Wellmcoficial (+10 mil)

Vinição – https://www.facebook.com/vinicaooficial (+10 mil)

Amiri – https://www.facebook.com/AmiriOficial (+10 mil)

Qunito Andar – https://www.facebook.com/5andar (+5 mil)

Marcello Guguhttps://www.facebook.com/marcelloguguoficial (+ 5 mil)

BrisaFlowhttps://www.facebook.com/brisaflow (+5 mil)

Mc Vincin – https://www.facebook.com/vinicinoficial (+5 mil)

Mc Kayuá – https://www.facebook.com/simpleskayua (+5 mil)