Os maiores cientistas brasileiros e suas contribuições

Lista atualizada em 02/05/2019 Nesta lista você verá alguns dos principais personagens na história da ciência brasileira. Ambos são considerados aqueles que trouxeram inovações relevantes em suas respectivas áreas de atuação, colaboraram com a ciência brasileira e tiveram grande reconhecimento, a maioria em nível mundial. Ao final da leitura, esperamos que você tenha orgulho desta parte da nossa história – nós temos!

SANTOS DUMONT

Alberto Santos Dumont (1873-1932) foi um aeronauta, esportista e inventor brasileiro nascido em Minas Gerais. Ele é considerado o pai da aviação, junto com os irmãos Wright. Na vontade de construir seu próprio balão Santos Dumont projetou, construiu e voou os primeiros balões dirigíveis com motor a gasolina. Esse mérito lhe é garantido internacionalmente pela conquista do Prêmio Deutsch em 1901, quando em um voo contornou a Torre Eiffel com o seu dirigível Nº 6, transformando-se em uma das pessoas mais famosas do mundo durante o século XX. Santos Dumont também foi o primeiro a decolar a bordo de um avião impulsionado por um motor a gasolina. Em 23 de outubro de 1906 voou cerca de sessenta metros a uma altura de dois a três metros com o Oiseau de Proie’ (francês para “ave de rapina”), no Campo de Bagatelle, em Paris. Menos de um mês depois, em 12 de novembro, percorreu 220 metros a uma altura de 6 metros com o Oiseau de Proie III.

ADOLPHO LUTZ

Adolfo Lutz (1855-1940) foi um médico nascido no Rio de Janeiro. Pioneiro na área de epidemiologia, na pesquisa de doenças infecciosas (como a varíola, a peste bubônica e a malária) e na zoologia médica. Ele foi um dos primeiros no uso do método pasteuriano e é considerado o pai da medicina tropical. Em 1882, trabalhou no interior de São Paulo, onde combateu.

ÁLVARO ALBERTO

Álvaro Alberto da Mota e Silva 1889-1976) foi um vice-almirante da Marinha brasileira e cientista brasileiro. Seu principal feito foi a invenção de explosivos e tintas antivegetativas polivalentes e ajudar a implementação do Programa nuclear brasileiro, além disso foi o representante do Brasil na comissão de energia atômica da ONU.

BERTHA BECKER

Bertha Koiffmann Becker (1930-2013), foi uma importante geógrafa brasileira, Foi professora universitária e atuou como consultora e assessora de alguns órgãos estatais: Ministério Ciência e Tecnologia (MCT), Ministério do Meio Ambiente, Ministério das Relações Exteriores, Ministério da Integração Regional e das Relações Exteriores. Dirigiu e integrou grupos de pesquisas internacionais na União Geográfica Internacional (UGI), foi Presidente da Comissão Nacional do Brasil e da Associação Nacional de Pós-Graduação em Geografia (ANPEGE).Participou também da concepção do Plano Amazônia Sustentável. Bertha ficou conhecida como “cientista da amazônia”, pois seu principal tema de pesquisa era a geografia política da Amazônia e do Brasil, fazendo uma síntese das mudanças decorrentes das tranformações ocorridas nas dinâmicas espaciais da região amazônica.

CARLOS CHAGAS

Carlos Justiniano Ribeiro Chagas (1879-1934) foi um biólogo, médico sanitarista, cientista e bacteriologista brasileiro, que trabalhou como clínico e pesquisador. Atuante na saúde pública do Brasil, iniciou sua carreira no combate à malária. Destacou-se ao descobrir o protozoário Trypanosoma cruzi (cujo nome foi uma homenagem ao seu amigo Oswaldo Cruz) e a tripanossomíase americana, conhecida como doença de Chagas. Ele foi o primeiro e até os dias atuais permanece o único cientista na história da medicina a descrever completamente uma doença infecciosa: o patógeno, o vetor (Triatominae), os hospedeiros, as manifestações clínicas e a epidemiologia.

CELSO FURTADO

Celso Monteiro Furtado (1920-2004) foi um economista brasileiro e um dos mais destacados intelectuais do país ao longo do século XX. Suas ideias sobre o desenvolvimento e o subdesenvolvimento enfatizavam o papel do Estado na economia, com a adoção de um modelo de desenvolvimento econômico de corte pré-keynesiano. Furtado presidiu o Grupo Misto CEPAL-BNDES, que elaborou um estudo sobre a economia brasileira que serviria de base para o Plano de Metas do governo de Juscelino Kubitschek. Em 1953 assumiu uma diretoria do BNDES. Mais tarde, foi convidado pelo professor Nicholas Kaldor ao King’s College da Universidade de Cambridge, Inglaterra, onde escreveu Formação Econômica do Brasil, clássico da historiografia econômica brasileira, que retrata possibilidades de intervenção racional do Estado no processo de desenvolvimento econômico.

CÉSAR LATTES

Cesare Mansueto Giulio Lattes, mais conhecido como César Lattes (1924-2005), foi um físico brasileiro, co-descobridor do méson pi, descoberta que levou o Prêmio Nobel de Física de 1950, concedido a Cecil Frank Powell. Fez os seus primeiros estudos em sua cidade natal e depois em São Paulo, vindo a graduar-se na Universidade de São Paulo, formando-se em 1943, em matemática e física. Lattes é um dos físicos brasileiros mais ilustres e honrados e seu trabalho foi fundamental para o desenvolvimento da física atômica. Ele também foi um grande líder científico de física brasileira e foi uma das principais personalidades por trás da criação do importante Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Ele figura como um dos poucos brasileiros na Biographical Encyclopedia of Science and Technology de Isaac Asimov, como também na Encyclopædia Britannica.

DJALMA GUIMARÃES

Djalma Guimarães (1894-1973) foi um engenheiro civil brasileiro, e metalúrgico de formação. Foi um dos mais importantes engenheiros e geocientistas do Brasil no século XX, sendo considerado pioneiro em diversos campos das geociências no Brasil. Embora vários temas terem sido abordados por Djalma Guimarães, o que lhe conferiu importância e projeção nacional e internacional foram as descobertas das jazidas de apatita (fosfato) e de pirocloro (nióbio, e percentuais de até 2% de Tório, Urânio e terras raras) em Araxá (MG), que fizeram do Brasil o maior produtor de nióbio do mundo.

GABRIELA BARRETO LEMOS

Gabriela Barreto Lemos possui graduação em Curso de Física Bacharelado – Instituto de Ciências Exatas, mestrado e doutorado em Fisica pela UFMG. Foi bolsista de pós doutorado no Laboratório de Ótica Quântica do Instituto de Física da UFRJ e realizou um estágio pós-doutoral no Institute for Quantum Optics and Quantum Information (IQOQI Viena). Atualmente faz um pós-doutorado em informação quântica (física teórica) no International Institute of Physics – UFRN. Trabalha em Física, com ênfase em ótica quântica, emaranhamento, informação quântica, imagens quânticas, sistemas quânticos abertos, caos quântico e ótica clássica na aproximação paraxial. Gabriela é conhecida por ter realizado um experimento revolucionário, onde manipulou fótons dividindo-os criando um fantasma por entrelaçamento quântico. O feito a levou a revista científica Nature, a mais respeitada do mundo no ramo.

JOHANNA DOBEREINER

Johanna Liesbeth Kubelka Döbereiner (1924-2000) foi uma engenheira agrônoma brasileira, pioneira em biologia do solo. A agrônoma Johanna Döbereiner é a sétima cientista brasileira mais citada pela comunidade científica mundial e a primeira entre as mulheres, segundo levantamento de 1995 da Folha de S. Paulo. Suas pesquisas, fundamentais para que o Brasil desenvolvesse o Proalcool e se tornasse o segundo produtor mundial de soja, poupam ao país um gasto anual proximo a 1,5 bilhão de dólares e tiveram impacto direto na economia nacional. Seu trabalho com fixação biológica do nitrogênio permitiu que milhares de pessoas consumissem alimentos mais baratos e saudáveis, o que lhe valeu a indicação ao Prêmio Nobel em 1997. No entanto, a cientista é pouco conhecida no Brasil.

JULIANO MOREIRA

Juliano Moreira (1872-1933) foi um médico psiquiatra brasileiro, frequentemente considerado como o fundador da disciplina psiquiátrica no Brasil. Foi o primeiro professor universitário brasileiro a citar e incorporar a teoria psicanalítica no ensino da medicina. Destacou-se também na área da dermatologia. Foi o primeiro pesquisador a identificar a leishmaniose cutâneo-mucosa e buscou provar que a questão racial não motivava as doenças. Explorou a sifilografia e a parasitologia.

LEOPOLDO NACHBIN

Leopoldo Nachbin (1922-1993) foi um matemático brasileiro. Conhecido pelo Teorema de Nachbin e considerado um dos mais representativos matemáticos brasileiros, é membro fundador do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF) e do Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (IMPA). Foi um dos primeiros matemáticos brasileiros a receber bolsa de estudo de uma instituição americana e também o primeiro matemático a receber o prêmio Moinho Santista, em 1962, dado a cientistas brasileiros de destaque. Segundo o próprio, seu trabalho mais importante é o estudo dos espaços Hewitt-Nachbin. Teve quatro livros editados no exterior e quase cem artigos publicados em revistas de matemática nos Estados Unidos e na Europa principalmente.

MARES GUIA

Mares Guia (1935-2002) foi um químico mineiro que estudou as reações químicas catalisadas pelas enzimas humanas. Ao observar a atuação conjunta de pesquisa e indústria, ele voltou ao Brasil decidido a promover também aqui esta interação. Montou, então, o laboratório que serviu de base para a primeira empresa fabricante de enzimas no país, a Biobras, que se tornou a maior produtora de insulina sintética da América Latina. A produção da insulina humana recombinante usa a bactéria Escherichia coli, manipulada geneticamente, para sintetizar o hormônio humano. A novidade – uma alternativa à extração de insulina do pâncreas de bois e porcos – possibilitou a ampliação da produção de insulina e do tratamento de diabetes no país.estudou medicina na atual Universidade Federal de Minas Gerais. No entanto, apaixonou-se mesmo pela pesquisa científica na área da bioquímica. Fez doutorado nos Estados Unidos. Em 1970, tornou-se membro da ABC. Além disso, foi um dos criadores da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais.

MARIO SCHENBERG

Mário Schenberg (1914-1990) foi um físico, político e crítico de arte brasileiro. Considerado o maior físico teórico do Brasil, Schenberg publicou trabalhos nas áreas de termodinâmica, mecânica quântica, mecânica estatística, relatividade geral, astrofísica e matemática. Trabalhou com José Leite Lopes e César Lattes, e foi assistente do físico ucraniano naturalizado italiano Gleb Wataghin. Colaborou com inúmeros físicos de prestígio internacional, como o russo naturalizado americano George Gamow e o astrofísico indiano Subrahmanyan Chandrasekhar. Foi presidente da Sociedade Brasileira de Física de 1979 a 1981 e diretor do Departamento de Física da Universidade de São Paulo de 1953 a 1961, onde também foi professor catedrático. Schenberg teve ativa participação política, sendo eleito duas vezes deputado estadual de São Paulo.

PAULO FREIRE

Paulo Reglus Neves Freire (1921-1997) foi um educador, pedagogo e filósofo brasileiro. É considerado um dos pensadores mais notáveis na história da pedagogia mundial, tendo influenciado o movimento chamado pedagogia crítica. É também o Patrono da Educação Brasileira. Sua prática didática fundamentava-se na crença de que o educando assimilaria o objeto de estudo fazendo uso de uma prática dialética com a realidade, em contraposição à por ele denominada educação bancária, tecnicista e alienante: o educando criaria sua própria educação, fazendo ele próprio o caminho, e não seguindo um já previamente construído; libertando-se de chavões alienantes, o educando seguiria e criaria o rumo do seu aprendizado. Destacou-se por seu trabalho na área da educação popular, voltada tanto para a escolarização como para a formação da consciência política. Autor de Pedagogia do Oprimido, livro que propõe um método de alfabetização dialético, se diferenciou do “vanguardismo” dos intelectuais de esquerda tradicionais e sempre defendeu o diálogo com as pessoas simples, não só como método, mas como um modo de ser realmente democrático. Foi o brasileiro mais homenageado da história: ganhou 29 títulos de Doutor Honoris Causa de universidades da Europa e América; e recebeu diversos galardões como o prêmio da UNESCO de Educação para a Paz em 1986.

MAURICIO DA ROCHA E SILVA

Maurício Oscar da Rocha e Silva (1910-1983) foi um médico brasileiro formado pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Descobriu a bradicinina usada em medicamentos de controle da hipertensão. Foi também professor da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto. Seu acervo integra o Projeto Memória da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência.

OSWALDO CRUZ

Oswaldo Gonçalves Cruz (1872-1917) foi um cientista, médico, bacteriologista, epidemiologista e sanitarista brasileiro. Foi pioneiro no estudo das moléstias tropicais e da medicina experimental no Brasil. Fundou em 1900 o Instituto Soroterápico Federal no bairro de Manguinhos, no Rio de Janeiro, transformado em Instituto Oswaldo Cruz, respeitado internacionalmente. Foi diretor-geral da Saúde Pública (1903), nomeado por José Joaquim Seabra, Ministro da Justiça, e pelo Presidente Rodrigues Alves, coordenou as campanhas de erradicação da febre amarela e da varíola, no Rio de Janeiro. A nomeação foi uma surpresa geral. Organizou os batalhões de “mata-mosquitos”, encarregados de eliminar os focos dos insetos transmissores. Premiado no Congresso Internacional de Higiene e Demografia, em Berlim (1907), deixou a Saúde Pública (1909). Em 1916 ajudou a fundar a Academia Brasileira de Ciências e, no mesmo ano, assumiu a prefeitura de Petrópolis.

OTTO GOTTLIEB

Otto Richard Gottlieb (1920-2011) foi um químico e cientista tcheco, de origem judaica, naturalizado brasileiro. Foi indicado para o Nobel de Química em 1999, por estudos sobre a estrutura química das plantas, que permitem analisar o estado de preservação de vários ecossistemas. Com seu trabalho, revelou a biodiversidade da flora brasileira e promoveu a fitoquímica no país. Em 1977 Otto foi o primeiro profissional de química a receber o Prêmio Fritz Feigl, criado pelo Conselho Regional de Química – IV Região neste mesmo ano. Foi agraciado com o Prêmio Anísio Teixeira em 1986. Foi responsável por importantes descobertas como o pau-rosa. Chefiou a implantação do laboratório de fitoquímica da Universidade de Brasília (UnB). Em 1967, criou o laboratório de Química de Produtos Naturais no Instituto de Química da Universidade de São Paulo, de onde se aposentou em 1990. Otto Gottlieb mapeou centenas de espécies e estabeleceu índices para o comportamento delas, possibilitando a medição da biodiversidade de ecossistemas. Seus estudos também resultaram na descoberta de substâncias como as neolignanas, de efeito anti-inflamatório.

VITAL BRAZIL

Vital Brazil Mineiro da Campanha (1865-1950) foi um importante médico cientista, imunologista e pesquisador biomédico brasileiro de renome internacional. Como médico sanitarista, participou das brigadas de combate à febre amarela e à peste bubônica em várias cidades no Estado de São Paulo. Desenvolveu materiais de informação, especialmente voltados para a população do campo, sobre como se proteger das cobras e outros animais peçonhentos. Vital Brazil ingressou, em 1897, no Instituto Bacteriológico do Estado de São Paulo. Trabalhou junto com Oswaldo Cruz e Emílio Ribas no combate à peste bubônica, ao tifo, à varíola e à febre amarela. Ajudou a fundar e instalar o Instituto Butantan. Foi lá que desenvolveu importantes trabalhos de pesquisa e produção de medicamentos. Em 1903, apos intensa pesquisa logrou enunciar cientificamente o soro antiofídico, desenvolvido a partir do Piroplasma vitalli, parasita no sangue dos cães. Após este evento, outros soros foram produzidos no Instituto Butantan. Também foram produzidas vacinas contra tifo, varíola, tétano, psitacose, disenteria bacilar e BCG. As sulfuras e as penicilinas vieram mais tarde. As picadas de aranhas venenosas, escorpião e lacraias deram origem a novos soros. Frequentou por longo tempo o Instituto Pasteur. Também é o fundador do Instituto Vital Brazil, em Niterói. Vital Brazil tornar-se-ia mundialmente conhecido pela descoberta da especificidade do soro antiofídico, do soro contra picadas de aranha, do soro antitetânico e antidiftérico e do tratamento para picada de escorpião. Faltou algum grande cientista brasileiro nesta lista?

Deixa nos comentários para ajudar a melhorá-la!